Você aprendeu a amar?

Poucas coisas são tão injustiçadas quanto o amor. Algumas atitudes dão a ele uma péssima fama, por isso é muito natural que você esteja dando o seu tudo para receber um pouco de uma versão falsificada.

Amor, antes de tudo é responsabilidade.

Você não vai acordar todos os dias se achando a pessoa mais incrível ou disposta a se dar o mundo. Nem tampouco vai olhar no espelho e sentir vontade de enaltecer cada traço seu, mas precisa se lembrar que está na linha de frente da própria vida, no comando, e ninguém fará o que você precisa fazer por si mesmo.
Isso significa que você terá que levantar – apesar dos pensamentos negativos – tomar um banho, traçar metas reais e humanas e lutar por si. Porque você é sua responsabilidade.

Amor próprio é muito mais do que sentir, é se conhecer ao ponto de dizer não para tudo aquilo que desrespeita a sua essência ou que está longe do que você merece. E esse autoconhecimento não é automático, você precisa investir tempo de qualidade nisso.
Talvez, a maior descoberta da sua vida será no dia que você perceber que não é o monstro que pensa que é e que merece muito mais do que o pouco que se sujeita.

E essa descoberta se inicia quando você se olha além dos traumas, do abuso, da raiva, além das violências que sofreu. Quem é essa pessoa por trás de tudo isso?

Esse alguém que resistiu tem uma voz, e se você se atentar, ouvirá um pedido de cuidado. Em vez de submeter esse alguém a mais violências e insultos, cuide.

Cuidar está na essência de amar.

Se você quer se olhar no espelho e ter orgulho de si mesmo, saiba que é um processo. Mas não use expectativas alheias como métrica para avaliar a sua importância, não espere ter sucesso em algo ou uma aprovação para se validar como alguém de valor.

Valorize o seu processo de crescimento, muito mais do que a linha de chegada. Afinal, o amor próprio te faz dar o primeiro passo e absolutamente ninguém pode roubar os investimentos que você faz em si mesmo.

Você vai precisar encarar os seus maiores monstros e lutar contra eles até que sejam pequenos demais para terem o controle da sua vida. Não é uma tarefa fácil, mas é completamente possível.

Em alguns dias você vai querer parar. Vai pensar em chutar o balde e deixar tudo como está, mas é justamente nesse momento em que o amor se fortalece aí dentro, porque se aperfeiçoa na sua fraqueza, quando você não abre mão da convicção de que pode ser melhor, de que ainda há esperança.

Amor, no final de tudo, é sobre não desistir.

/ / / /

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *