O controle da sua vida

Te enganaram ao dizer que você é insuficiente. Te enganaram ao dizer que você merecia estar em uma relação onde só recebe migalhas. Como também que deve encontrar a felicidade em um alguém perfeito.

Não existe um alguém que quando entra na sua vida faz desaparecer seus problemas e inseguranças.  

Mas, o que você tem feito com essas verdades?

Acredite, alguém só vai embora de dentro de você quando você quer; quando permite.

O ato de decidir não mais sentir a dor da perda ou até, conseguir tirar de si um sentimento que te oprime, é de sua responsabilidade.

Você tem uma grande responsabilidade de lutar por você, cuidando de cada passo que você dá para ter uma vida diferente.

Primeiro, você deu o seu melhor naquele momento. Mesmo que você tenha o desejo de ter feito diferente. Seu desejo não muda seu passado, mas sua ação de agir diferente muda o seu futuro.

Segundo, não se culpe por não estar se sentindo forte. Você precisa decidir ser forte e não esperar se sentir assim.

E terceiro, com o tempo sua forma de enxergar os relacionamentos amadurece. Você entende onde deve permanecer e onde precisa sair pelo desconforto.

Sobre ressentimentos

As pessoas sabem exatamente quando algo tem total controle sobre a vida delas, um exemplo disso é quando passam por um problema que não conseguem durante anos superar.

Passam anos e continuam escravas de um ressentimento. Assim é com os traumas que você sofreu.

Você pode não ter escolhido passar por eles, mas até hoje, o domínio da sua vida está preso no passado.

Não estamos falando que sua dor não importa, mas sobre não conseguir mais viver por permitir que seu passado te domine.

Como aquele ressentimento que você guarda e no fundo sabe que significa uma grande mágoa.

Os traumas não precisam estar no comando e decidindo a sua existência, a ponto de te fazer questionar sobre merecer estar vivo ou não.

Você não vai conseguir avançar se continuar colecionando pesos do passado.

Você precisa saber que é mais forte que tudo o que passou – ainda não que não pareça. É possível se reerguer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *